Cirurgia das Amígdalas a LASER

Cirurgia das amígdalas e da faringe a LASER ?

           Muitas pessoas ainda sofrem com amigdalites de repetição várias vezes ao ano, atrapalhando a produtividade no trabalho, o lazer e obrigando o uso recorrente de antibióticos. Outra queixa comum das amígdalas grandes ou que inflamam com frequência é a halitose (mau-hálito), que pode vir acompanhada da eliminação de uma massinha branca e mal cheirosa chamada "caseum". Apesar de sempre ser preferível o tratamento medicamentoso, muitas vezes essas queixas só podem ser controladas com a cirurgia das amígdalas.
         A técnica de cirurgia convencional das amígdalas ainda é a mais usada e sofreu poucas modificações nos últimos 40 anos. Ela consiste na ressecção das amígdalas com instrumentos de metal (ressecção a frio), sob anestesia geral. As amígdalas são removidas por inteiro, incluindo suas cápsulas, expondo a musculatura que ficava sob ela. Isso gera um certo desconforto no pós-operatório.




     A técnica a LASER não necessita de anestesia geral, sendo feita com anestesia local. A amígdala não é removida por completo mas sim reduzida substancialmente até a eliminação das criptas (buracos nas amígdalas que costumam acumular restos alimentares e com isso desencadear infecções). Como a cápsula é preservada, não há exposição da musculatura subjacente e com isso a recuperação é mais rápida e um pouco menos dolorosa (embora não seja indolor).
          Por outro lado, por preservar parte do tecido amigdaliano, a técnica a LASER pode necessitar de um "retoque" em alguns casos pelo paciente ainda apresentar vez por outra inflamações de garganta, embora a maioria não necessite.




      Outros pacientes não sofrem especificamente de amigdalite de repetição mas de faringites devido à presença de grânulos linfoides na parede posterior da faringe, o que alguns autores chamam de faringite granulosa. Nestes casos a remoção a LASER desses grânulos sob anestesia local, no próprio consultório, podem acabar com as inflamações recorrentes. Também pode ser necessária mais de uma sessão.

Mais Informações em otorrinobrasilia.com/laser






Nenhum comentário:

Postar um comentário